Carboidratos na Alimentação: Energia para o Corpo

pexels-august-de-richelieu-4262174

Medo de comer carboidratos? Acha que vai engordar? Fica aqui com a gente que vamos desmistificar tudo isso aí para você!

Os carboidratos são como o “combustível” do nosso corpo, dando energia para as células do sistema nervoso, sistema imunológico e músculos. Eles estão presentes em muitos alimentos, como grãos, cereais, frutas e legumes.

Para manter uma alimentação saudável, especialistas recomendam que cerca de 60 a 70% das nossas calorias diárias venham dos carboidratos. Mas não é só a quantidade que importa: é bom focar nos carboidratos ricos em fibras, como os cereais integrais, as frutas e os vegetais.

Mesmo que os carboidratos tenham má fama, consumi-los nas quantidades certas traz benefícios, não só para o corpo, mas também para a mente, proporcionando momentos de prazer e bem-estar.

Exemplos de alimentos que são fonte de carboidrato: arroz, batatas, mandioca, inhame, massas, frutas, pães e biscoitos.

 

Comer carboidrato à noite engorda?

Contrariando o mito de que carboidratos à noite engordam, o que realmente influencia no peso é o equilíbrio entre a ingestão e o gasto de calorias ao longo do dia – ou seja, se você comer mais calorias do que gasta. Estudos mostram que comer carboidratos à noite pode até melhorar a sensação de saciedade, contribuindo para a perda de peso. Além disso, pode ajudar na produção de melatonina, o hormônio do sono, melhorando a qualidade da sua noite.

Macarrão na dieta: Amigo ou Vilão?

O macarrão, apesar de ser considerado um vilão por alguns, pode sim fazer parte de uma dieta saudável. Ele fornece energia, nutrientes e até fibras. O segredo está no equilíbrio: escolher molhos menos calóricos, controlar as porções e combinar com outros alimentos para garantir saciedade ao longo do dia. Afinal, o importante é manter um balanço, sem medo de saborear uma boa macarronada de vez em quando.

Experimente preparar uma massa Isabela com frutos do mar para o almoço de domingo em família!

 

Desenvolvido por:
Equilibrium Latam consultoria de saúde e nutrição

REFERÊNCIAS:
1. Ma Y, Ratnasabapathy R, Gardiner J. Carbohydrate craving: not everything is sweet. Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 2017 Jul;20(4):261-265. doi: 10.1097/MCO.0000000000000374.
2. Jéquier E. Carbohydrates as a source of energy. Am J Clin Nutr. 1994 Mar;59(3 Suppl):682S-685S. doi: 10.1093/ajcn/59.3.682S.
3. MELO, Eduardo Alves; JAIME, Patrícia Constante; MONTEIRO, Carlos Augusto. Guia alimentar para a população brasileira. [S.l: s.n.], 2014.
4. Aragon AA, Schoenfeld BJ, Wildman R, Kleiner S, VanDusseldorp T, Taylor L, Earnest CP, Arciero PJ, Wilborn C, Kalman DS, Stout JR, Willoughby DS, Campbell B, Arent SM, Bannock L, Smith-Ryan AE, Antonio J. International society of sports nutrition position stand: diets and body composition. J Int Soc Sports Nutr. 2017 Jun 14;14:16. doi: 10.1186/s12970-017-0174-y.
5. Sofer S, Eliraz A, Kaplan S, Voet H, Fink G, Kima T, Madar Z. Greater weight loss and hormonal changes after 6 months diet with carbohydrates eaten mostly at dinner. Obesity (Silver Spring). 2011 Oct;19(10):2006-14. doi: 10.1038/oby.2011.48.
6. Walsh NP, Halson SL, Sargent C, Roach GD, Nédélec M, Gupta L, Leeder J, Fullagar HH, Coutts AJ, Edwards BJ, Pullinger SA, Robertson CM, Burniston JG, Lastella M, Le Meur Y, Hausswirth C, Bender AM, Grandner MA, Samuels CH. Sleep and the athlete: narrative review and 2021 expert consensus recommendations. Br J Sports Med. 2020 Nov 3:bjsports-2020-102025. doi: 10.1136/bjsports-2020-102025.

Compartilhe:

Leia Também

Pular para o conteúdo