Descomplicando a Nutrição: os nutrientes de um jeito leve e gostoso! 😊

Latin american family having barbecue at home. happy family having lunch and drinking on a summer weekend

Vamos bater um papo descontraído sobre algo que impacta todo mundo: a nossa alimentação. Só que vamos descer do salto e deixar isso tudo mais de boa!

E para começar a descomplicar, vamos falar primeiro sobre os macronutrientes – o que é isso?

Os macronutrientes são como os super-heróis da nossa alimentação. Eles são divididos em três grupos – carboidratos, proteínas e gorduras – e são essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo, dando energia, construindo nosso corpo e até protegendo nossos órgãos. Agora que a gente já sabe quem são os protagonistas, vamos simplificar cada um deles?

Carboidratos: O combustível do nosso corpo

Primeiro na lista: carboidratos. Esses caras são a gasolina que nosso corpo precisa. Ao transformamos eles em glicose, as nossas células vão usá-lo como energia. Se não comermos carboidratos suficientes, a coisa complica: dificuldade de concentração, dor de cabeça, mal humor e uma fome daquelas!

Onde encontrar? Cereais (trigo, arroz, quinoa, aveia, cevada), pães e torradas, massas, granola, frutas e tubérculos (batatas, mandioca, mandioquinha, inhame)… tudo que dá aquele gás!

As massas e torradas da Isabela podem fazer parte do seu dia a dia e fornecer esse combustível que seu corpo precisa!

Proteínas: Os tijolinhos do nosso corpo

Agora, proteínas! Elas são os tijolos que constroem nosso corpo todo. Cada mordida em um alimento rico em proteína, será transformado em aminoácidos, que são essenciais pra manutenção de músculos, pele, cabelo, tudo!

Encontramos as proteínas em carnes em geral, ovos, leite e até nas leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja)

Gorduras: Energia e proteção

E as gorduras? Além de darem energia e ajudarem a absorver algumas vitaminas, elas trabalham como um casaco para o corpo, protegendo órgãos e regulando a temperatura corporal. Mas aqui o equilíbrio é chave! Nada de exagerar nas frituras, combinado?

Achamos as boas gorduras no azeite, abacate, sementes e castanhas…a turma do bem

E agora, como monto o meu prato?

Vem com a gente para aprender a fazer um prato ideal!

A OMS – Organização Mundial da Saúde – recomenda uns percentuais de energia, mas não precisa pirar. O equilíbrio é tudo e transformar essa conta em algo mais visual torna nossa vida bem mais fácil! Vamos nessa:

+ metade do prato com vegetais: pode ser cru, cozido, assado – aqui o que vale é: quanto mais colorido melhor!
+ ¼ com cereais, massas ou raízes: lembra dos carboidratos?
+ ¼ com carne, peixe, frango, ovos ou os grãos que chamamos de leguminosas: aqui vamos garantir as proteínas!

Um tiquinho de azeite para temperar e uma fruta de sobremesa são super válidos!

Comer bem é equilibrar, não é cortar tudo! Bora ser consciente nas escolhas!

Agora, além das refeições principais, é importante equilibrar os lanches e “beliscadas” ao longo do dia também! E aqui a regra é a mesma: EQUILÍBRIO. Adicione alimentos fonte de carboidrato como biscoitos e torradas, mas complete com outros alimentos que sejam fonte de proteínas e fibras para maior saciedade, como frutas, laticínios, ovos ou até mesmo pastinhas a base de leguminosas como o hommus! A chave para realizar lanches intermediários é saber montar combinações de sucesso, que forneçam todos os macronutrientes que trabalhamos ao longo do texto.

Desenvolvido por:
Equilibrium Latam consultoria de saúde e nutrição

REFERÊNCIAS:
1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed., 1. reimpr. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. 156 p. : il.
2. Harvard T.H. Chan School of Public Health. “Healthy Eating Plate” The Nutrition Source. Harvard University.
3. Marzzoco, A.; Torres, B.B. Bioquímica Básica, 4ª ed., Ed. Guanabara Koogan, 2015.
4. Rodwell, Victor W., et al. Harper’s Illustrated Biochemistry 31th edition.

Compartilhe:

Leia Também

Pular para o conteúdo